O impacto do CORONAVÍRUS em nosso comércio

Estamos passando por momentos difíceis!

Se não bastasse os problemas econômicos que estamos enfrentando, surge um novo coronavírus, o COVID-19, o qual atingiu em cheio nosso País e já se transformou em pandemia, visto que já atingiu vários continentes.

É preciso que todos nos conscientizemos de que devemos nos cuidar e seguirmos as orientações dadas pelas autoridades de saúde. Será duro alterarmos nossa rotina, mas é para o nosso próprio bem.

O Prefeito Edmar Mazucato editou um decreto restringindo o funcionamento das atividades econômicas no Município como também as de lazer e dizendo das penalidades aos que o infringirem, pelo período de 15 dias. Há as exceções, como supermercados, farmácias, açougues, padarias, estabelecimentos que comercializam produtos para animais, borracharias e oficinas, que continuarão funcionando, mas com limitação no número de pessoas no interior desses estabelecimentos. Bares, restaurantes, lanchonetes e afins, só poderão funcionar com o serviço de entrega em domicílio, o já popular Delivery. Também as lojas poderão se valer desse procedimento. Tal decreto terá validade até o dia 7 de Abril. Outros Prefeitos da região estão tomando a mesma atitude. O Governador Dória também tomou medidas semelhantes.

É essencial que fiquemos nas nossas casas, evitando o contato com outras pessoas, mesmo que conhecidas. As medidas tomadas por nossos governantes terão grande impacto em todas as áreas, visto que todas sofrerão com a paralisação das atividades. Os que sofrerão mais serão os micro e pequenos empresários, pois estes, na maioria dos casos, não têm um caixa que possibilite suportar a interrupção de suas atividades, mesmo que por um curto período. É o preço que teremos de pagar para evitar que o mal se alastre e provoque danos maiores ainda.

Nossa Entidade está tentando encontrar caminhos que visem minimizar os problemas causados por esta pandemia. Não podemos perder nosso otimismo. Esta fase passará e o importante é que estaremos vivos e com saúde. O sucesso na contenção do vírus depende, em parte, de nós. Todas as crises nos fornecem um aprendizado, o qual poderemos aplicarem nossas empresas. Parafraseando o Almirante Barroso, quando da Batalha Naval do Riachuelo: “O Brasil espera que cada um cumpra com o seu dever”.

Juntos somos fortes!

Edivaldo Marconato
Presidente da Aceoc